Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O meu filho dava um livro...

... e vários filmes!!! Num elenco de luxo, temos como protagonista Salvador, nascido a 28.04.2010, em cenários da vida quotidiana. Registado no nosso dia-a-dia, por isso aconselha-se alguma prudência quando imaginar as cenas descritas: são bem reais..

O meu filho dava um livro...

... e vários filmes!!! Num elenco de luxo, temos como protagonista Salvador, nascido a 28.04.2010, em cenários da vida quotidiana. Registado no nosso dia-a-dia, por isso aconselha-se alguma prudência quando imaginar as cenas descritas: são bem reais..

Quem diria….

Ontem à noite, à ceia:

- Amanhã era o dia ideal para ficarmos em casa a dormir até nos caírem 3 pernas…. – Digo eu, enquanto mergulho mais uma bolacha Maria no leite.

- Podes crer, Mãe!!

- Diz o menino – interrompo eu abruptamente – que, assim que lhe «cheira» que o Pai está levantado, vem logo a correr ter com ele para ficar a ver desenhos animados – respondo desdenhosamente.

 

O Pai é detentor de um relógio biológico infalível: às 7 da manhã está acordado e levanta-se, seja que dia da semana for. O Filho, que ao fim de semana bem podia aproveitar para ficar a dormir mais um bocadinho, acorda pouco depois e, assim que o vê no andar debaixo, corre a juntar-se-lhe…

 

- Quem diria… - começa ele, com uma expressão entre o admirado e o resignado…

- Quem diria o quê? – Questiono.

- Que conheces-me… que me conheces tão bem, Mãe. – Termina ele autocorrigindo-se.

- É normal, filhote, eu sou tua Mãe. Não há ninguém que conheça melhor os filhos que a Mãe: afinal, fui eu que te pari depois de 9 meses a cresceres na minha barriga…

- É verdade, Mãe….

 

(Sim, sim, para grande desgosto de alguns, quando falo com o meu filho “chamo o boi pelos nomes”: se fui para uma sala de parto na hora dele nascer, fui parir e não celebrar um contrato de fornecimento de energia elétrica com o obstetra para que me ajudasse a dar à luz….)

 

No final desta conversa fiquei meia azamboada: parecia que estava a falar com um adolescente. Há cada vez mais situações em que tenho que olhar duas vezes para esta criança para me certificar do tamanho e idade que ela tem.

Se bem que, a julgar pelo tamanho, a minha vizinha da frente ia jurar que ele tinha 7 anos e não percebia porque é que ele não andava na rua a brincar com os outros meninos… Talvez porque ainda é demasiado infantil para eles…. Quem diria…

1 comentário

Comentar post