Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O meu filho dava um livro...

... e vários filmes!!! Num elenco de luxo, temos como protagonista Salvador, nascido a 28.04.2010, em cenários da vida quotidiana. Registado no nosso dia-a-dia, por isso aconselha-se alguma prudência quando imaginar as cenas descritas: são bem reais..

O meu filho dava um livro...

... e vários filmes!!! Num elenco de luxo, temos como protagonista Salvador, nascido a 28.04.2010, em cenários da vida quotidiana. Registado no nosso dia-a-dia, por isso aconselha-se alguma prudência quando imaginar as cenas descritas: são bem reais..

Asas de campeão... de amizade

E eis que o primeiro amigo que faz no condomínio... não vive no condomínio.

É preciso ter azar.

 

Conheceram-se esta manhã.

Apesar do João ter 10 anos, depressa começou a brincar com o Salvador, entrou nas brincadeiras dele e ajudou-nos a convencê-lo que a «piscina dos grandes» nada mais é que uma piscina igual aquela onde ele tem natação com os amigos da escola.

 

- Vês Filho, já tens um amigo aqui no Condomínio! Mas agora temos que ir para casa almoçar. A piscina não vai a lado nenhum e o João também não. Tu moras aqui, Filho.

- Pois - começa a mãe do João - vocês sim, mas nós somos de Portimão. Estamos de fim de semana em casa de uns amigos. Apesar de virmos cá muitas vezes, não moramos cá. Agora só devemos voltar em novembro, porque o Halloween aqui é muito engraçado, com os miúdos durante algumas horas a correrem todas as casas a pedir doces e a fazer travessuras a quem não os dá...

 

Partiu-se-me o coração: a primeira vez que ele sai para a rua desde que nos mudámos, faz um grande amigo... e ele mora em Portimão.

 

- Mas eu vou estar cá mais ou menos até às 5 horas - apressasse o João a esclarecer - por isso, se vieres à tarde, ainda podemos voltar a brincar hoje. Deixo-te brincar com o meu avião da Playmobil.

 

E assim foi: mais uma hora na piscina e depois foram os dois para a zona de relvado atirar o avião.

O Salvador estava tão feliz!!!

 

Tive alguma dificuldade em explicar-lhe que o João tinha que ir apanhar o comboio para ir para casa...

 

- Queres que da próxima vez traga fotografias da minha casa e da minha escola para tu conheceres?

- Sim, João!! Boa.

- E se eu te trouxer também fotografias do comboio e da paisagem da viagem que eu faço, ias gostar?

- Sim, para ver o que tu vês quando vais pa casa.

- Salvador - interrompo eu - o que tens na camisola?

- É uma medalha , Mãe! - diz orgulhoso - Foi o João que deu-me por eu saber fazer o avião voar longe!

 

 

Era uma imitação em plástico, da Playmobil, das asas de piloto de avião. Aposto que o kit do avião só trazia aquela medalha. E ele deu-a ao Salvador...

Olhei cheia de ternura para o João: com dez anos, mais 6 que o Salvador, fez dele o miúdo mais feliz deste condomínio.

 

- Salvador, podes ficar com a medalha, é para ti!

- Obrigado, João!! Dá cá um abraço.

E abraçaram-se, o João quase dobrado em dois para receber o mimo do seu novo amiguinho.

 

- João?

- Sim Salvador?

- Anda cá que vou dar-te mais um beijinho e um abracinho. Vou ter saudades tuas!

 

E deu-lhe um beijo.

 

- João, agora dás tu aqui nesta bochecha e baixas para eu te dar mais um abracinho...

 

Isto estava para durar...

 

- Salvador, tens que deixar o João ir embora. Ele não pode perder o comboio, Filho.

- Eu sei, Mãe... - e virando-se para o João, agarrou-se com todas as forças à cintura dele.

 

Ele puxou-o para cima e voltaram a abraçar-se.

- Até ao Halloween, Salvador.

- Depois posso ir a tua casa, João?

- Salvador - interrompo eu mais uma vez - Da próxima vez que o João cá estiver, prometo-te que ele vai a nossa casa, brincar contigo.

- Vens, João? Eu tenho tudo o que tu quiseres brincar: livros, puzzles, jogos, tablet... Vens?

- Pode ser - responde meio envergonhado.

- YEI!!!! - grita o Salvador.

 

E sai mais um abracinho.

 

- Filho....

- Já sei, já sei... O João tem que ir no comboio.

 

Não disse mais nada.

 

Fiquei a vê-los em mais um abraço apertado, mais uma troca de beijinhos e, pela primeira vez na vida, senti-me orgulhosa de ter ensinado o meu filho a demonstrar às pessoas que se gosta delas.

 

Que o Halloween venha depressa.... Ou que venham mais novos amigos, mas que não morem tão longe.

 

 

6 comentários

Comentar post