Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O meu filho dava um livro...

... e vários filmes!!! Num elenco de luxo, temos como protagonista Salvador, nascido a 28.04.2010, em cenários da vida quotidiana. Registado no nosso dia-a-dia, por isso aconselha-se alguma prudência quando imaginar as cenas descritas: são bem reais..

O meu filho dava um livro...

... e vários filmes!!! Num elenco de luxo, temos como protagonista Salvador, nascido a 28.04.2010, em cenários da vida quotidiana. Registado no nosso dia-a-dia, por isso aconselha-se alguma prudência quando imaginar as cenas descritas: são bem reais..

A escolha certa

Estava no outro dia a pendurar fotos do Salvador quando me lembrei deste episódio ocorrido este ano no Dia da Família.

 

Estávamos na festa do colégio e havia por todo lado molduras com fotos dos alunos, que poderiam a posteriori ser adquiridas pelos pais.

Como eu ainda não conhecia todos os colegas de sala do Salvador – porque, às horas a que o deixo e vou buscar ao colégio, as crianças que lá estão são quase sempre as mesmas – fomos os dois dar uma volta para ele me dizer quem eram.

Até porque no ano 2013/2014 entraram muitas crianças da faixa etária dele.

 

À medida que ele ia identificando os novos colegas, e ia falando um pouco acerca de cada um, volta e meia saía-me um: «Ah, esta menina é mesmo bonita» ou «Que linda, nunca a vi antes!!».

Não sei se incomodado pelos meus comentários às novas amigas – ou se pela falta deles em relação às que já conheço desde o berçário – o Salvador ficou meio estranho.

 

Relembro que já vos contei que ele tem uns dilemas de vida amorosa pouco normais na idade dele.

 

- O que foi, Filho?

- Achas esta menina bonita, Mãe?

- Então não? É bem linda…

- Pronto, Mãe, podes escolher uma tu gostas… - diz ele como se me estivesse a dar um prémio de consolação.

- Escolher uma? Uma quê?

- Uma menina tu gostas, Mãe.

- Filho, eu gosto de todas as tuas amigas, mesmo que não as conheça, como acontece com as meninas que me mostraste nas fotografias.

- Mas Mãe, se tu achas esta mais bonita, podes escolher ela ou outra tu também achas bonita… - insiste.

- Todas as tuas amigas são bonitas, Filho. E não estou a perceber para que é que queres que escolha uma…

- Escolhe uma, Mãe. Uma que gostas. Ficas feliz?

- Se nem sei para que é que estou a escolher…

- Eu deixo-te escolher, Mãe.

- Isso eu já percebi, só não percebi o quê…

- Uma namorada para mim…

 

Deu-se-me um nó no cérebro.

 

- Salvador, podes dar um bocadinho de atenção à Mãe? Ouvires MESMO o que te vou dizer?

- Sim, Mãe.

- A tua namorada és tu que escolhes; tu é que escolhes de quem gostas, não é a Mãe. A Mãe só tem é que gostar da tua namorada, desde que sejas feliz…

- Eu sou feliz, Mãe, muito feliz.

- Isso é que é importante!!! - concluo mais descansada.

- Com o Pai e contigo. Queres ser minha namorada?

 

São umas atrás das outras….

4 comentários

Comentar post