Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O meu filho dava um livro...

... e vários filmes!!! Num elenco de luxo, temos como protagonista Salvador, nascido a 28.04.2010, em cenários da vida quotidiana. Registado no nosso dia-a-dia, por isso aconselha-se alguma prudência quando imaginar as cenas descritas: são bem reais..

O meu filho dava um livro...

... e vários filmes!!! Num elenco de luxo, temos como protagonista Salvador, nascido a 28.04.2010, em cenários da vida quotidiana. Registado no nosso dia-a-dia, por isso aconselha-se alguma prudência quando imaginar as cenas descritas: são bem reais..

Conversas surreais

Confesso que muitas vezes tenho dificuldade em perceber onde é que o meu filho quer chegar com as conversas dele.

 

No outro dia estávamos os dois à mesa a jantar e ele pergunta-me:

- Mãe, onde é que eu estava agora?

- Como?

- Onde é que eu estava agora?

 

Eu estava francamente baralhada com os tempos verbais da questão e o agora….

 

- Como assim: onde é que estavas quando eras pequenino?

- Não, agora, agora: Onde é que eu estava agora?

- Oh Filho… Tu não estavas em lado nenhum, estás aqui comigo a jantar.

- A-GO-RA, onde é que eu estava agora? – insiste ele soletrando como se eu estivesse com alguma dificuldade em perceber o momento relativo à questão.

- Agora estás aqui comigo. Quando começaste a fazer a pergunta do «Agora», também já estavas aqui comigo a jantar….

- Não é isso que eu quero saber, Mãe!!! – diz ele exasperado, ante uma Mãe cada vez mais baralhada.

- Explica-me por outras palavras o que queres saber, Filho, porque sinceramente e como já percebeste, a Mãe não sabe o que queres saber… - digo-lhe.

- Eu quero saber onde é que estava agora.- responde-me calmamente.

- Agora mesmo, no segundo que passou?

- Isso!!

- Estavas para aqui a fazer-me perguntas que eu não estou a perceber enquanto estamos a jantar… - respondo pronta a colocar um ponto final na conversa.

- Vou perguntar outra vez, OK? – como se eu não tivesse ouvido.

 

O meu problema de compreensão da questão mantinha-se e ele não estava a saber explicar-se… A conseguir dizer-me, claramente, o que é que queria saber…

 

- Onde é que eu estava agora?

- Acho que me estavas a tentar enrolar para não jantares e não estás com sorte nenhuma: vamos lá esquecer o estava e o agora e toca a jantar antes que a comida fique fria.

 

- Aaaah, então era isso!?!?!?!?

- Isso o quê?!?!? – pasmo

- Nada…. – e recomeça a comer.

 

Confesso que pensei que esta fosse uma daquelas questões filosóficas encurralantes do género: como é que podes perguntar o que é determinada coisa se nunca a viste, não a conheces e não sabes qual a designação da mesma?

 

Mas não… Fiquei a saber o mesmo e ele, pelos vistos, teve a resposta que queria: que me estava a endrominar…

 

Mãe sofre…